dojo@Centro 24/10/2012

terça-feira, 30 outubro 2012

Olá, pessoas queridas 😀

O problema desta quarta, data estrelar dia 24 de outubro de 2012 foi uma releitura do cláaassico problema do Troco. Para quem não conhece, o problema do troco consiste em: de que forma(s) posso dar o troco para um determinado valor, dada x valores de moeda. Este problema é bastante versátil e a leitura feita foi retirarmos as moedas de centavos e tentamos encontrar o troco com a menor quantidade de moedas.

A linguagem escolhida foi PHP e ela encaixou muito bem com o problema, para a alegria de todos.

O código fonte do deste dojo pode ser encontrado no repositório (github) do dojo-rio

E os participantes foram:

  • Jonatas Emidio
  • Thiago Belem
  • Renan Augusto
  • Otavio Cardoso
  • Juan Lopes
  • Israel Teixeira
  • Flávio Amieiro
  • Valéria Parajara
  • Carlos Cunha
  • Cecília Belém
  • André Pfeiffer
  • Jacqueline Abreu

Os pontos positivos – Carinhas Felizes foram Imagem:

  • Nova leitura do problema
  • Continuamos resistindo a python (e estamos utilizando mais outras linguagens)
  • Discussão sobre algoritmos foi excelente +
  • Pessoas antigas voltaram
  • Todas as meninas presentes no dojo participaram pilotando
  • Participação do André Pfeiffer  +
  • Evolução do problema
  • Pessoas mais novas no dojo programando
  • Cissa Belém programando +++++
  • Biscoito Belem (Cissa, coloco acento na marca do biscoito 😛 ?) +++++++
  • PHP+++
  • Comida++++++
  • Participação da Valéria Parajara+
  • Dojo começou cedo+
  • Participação do Claudio Berrondo (sumido)+
  • Problema+++
  • Juan Math
  • Programação Dinâmica (PD)
  • Menos conversa paralela
  • Ambiente gostoso
  • Várias pessoas pilotando
  • Sem “Bullyng” com outras linguagens
  • Presença feminina+
  • A quantidade de presenças “fixas” – costumam vir frequentemente ao dojo – tem aumentado +
  • Let’s / Try
  • Problema ficou muito bom de ser programado em php
  • A solução utilizando recursão
  • Galera

Os pontos negativos – Carinhas Tristes foram 😦 :

  • O problema ficou complicado com o decorrer dos testes
  • Muita coca cola
  • Participação ainda incompleta ao dojo
  • Não concentração
  • Muito sono, atrapalhou a presença
  • Falei no vermelho
  • Provas
  • System Crash
  • O problema – Troco, por mais que seja uma releitura, está virando fizz buzz
  • Ainda tem muita conversa
  • Nem todo mundo programou
  • Cheguei tarde
  • Distração
  • Pessoas falando no vermelho +
  • Loop infinito
  • Baguncei muito o dojo na minha chegada (cumprimentando pessoas)
  • Não cheguei a tempo de comer o biscoito Belem

OBS: Sra Dona Cissa Belém está de parabéns pelos biscoitos – que ela mesma faz, quem não está vindo, está perdendo 😛

E pessoal, nesta quarta tem mais dojo Centro, mas durante a semana, não deixem de prestigiar os outros dojos que estão surgindo. Isso é muito legal e esperamos que continue, em especial o dojo@Barra, que está começando e espero sinceramente que seja um dojo permanente.

O dojo@Centro está ocorrendo na Íparos, na Av Treze de Maio, 13 – 6° andar – Centro – Rio de Janeiro – RJ. O pessoal começa a chegar as 18:30 e qualquer dúvida, entra no grupo Coding Dojo Rio e manda sua pergunta para nós :D. Sempre tem alguém para responder, estejam certos disso \o/ 😀

Anúncios

Dojo@Centro 16/05/2012

quarta-feira, 23 maio 2012

Olá pessoal.

Faz muito tempo que não postamos sobre os temas e as nossas impressões sobre os dojos realizados, mas se alguém quiser saber sobre a solução que chegamos, pode dar uma olhada em https://github.com/dojorio/dojo-centro – tem todas as soluções desde 2008 – veja o quanto se pode aprender lendo e/ou tentando reproduzir estas códigos :D, além de estar sempre com o código da semana corrente fresquinho esperando por todos para ser melhorado/apreciado/etc.

Neste dia, o problema abordado consistia numa conta de luz que você recebia, sendo que o consumo indicado não era somente o seu, mas também o do seu vizinho. Sabendo os parâmetros de cobrança e sabendo que sempre a sua fatura era menor que seu vizinho, indique o seu qtd consumida/valor da conta.

Para quem quiser saber mais, veja busca binária (também conhecida como Pesquisa Binária).

Apesar de ter sido um dia bastante chuvoso, tivemos bastante pessoas presentes (presenças internacionais, inclusive :D). Elas foram:

  • Eduardo Stalinho
  • Flávio Amieiro
  • Carlos Cunha
  • Leandro Thimóteo
  • Jean Pacheco
  • Vera Osokina
  • Luiz Peralba
  • Jacqueline Abreu
  • Israel Teixeira
  • Juan Lopes

E na retrospectiva deste dojo tivemos como:

Pontos Positivos – Carinha feliz 😀

  • Comida(+)
  • Pessoas novas (Vera e Jean) e pessoal da myfreecomm presente
  • Problema (+++)
  • Pessoas novas (++++)
  • Pessoas com interesse e opiniões interessantes para compartilhar
  • Lembrar de trazer comida

Pontos Negativos – Carinha triste 😦

  • Falta de pontualidade
  • Dispersão neste dojo
  • Problema
  • Pessoas falando no vermelho
  • Falta de concentração
  • Demora para escolher o problema
  • Não conseguimos finalizá-lo durante o dojo
  • Dificuldade das pessoas em entenderem o problema, apesar do problema ser simples
  • O problema ser interessante, mas aparentemente não muito viável de ser feito com um grupo grande
  • Muitas opiniões diferentes e falta de focar numa única vertente para chegar a solução
  • Esquecer de apertar o play
  • Chuva
  • Dispersão(+)
  • Apesar do problema ser muito legal e do pessoal (aparentemente) ter entendido o que fazer, mesmo assim ficamos travados
  • Problema
  • Bagunça(+)
  • Travamos

Este dia foi curioso, pois muita gente gostou e ao mesmo tempo desgostou do problema, mas acreditamos fortemente que todo mundo saiu dali aprendendo alguma coisa e que olhará para uma situação parecida com outros olhos :D.

Esperamos todos que vieram, os que não vieram e todos os que quiserem nos visitar, as 4º feiras (QUARTAS FEIRAS), às 18:30 (tentaremos chegar nesta hora, é o nosso compromisso semanal), na Av Treze de Maio, 13 – 6° andar – Cinelândia – Rio de Janeiro – RJ, também conhecida como Íparos.

Traga seu problema interessante, o seu biscoito, refrigerante ou qualquer outra coisa para comer – se quiser, mas venha,  ensine e aprenda conosco 😀 😀


Pesquisa Coding Dojo

segunda-feira, 25 abril 2011

O Bernardo Fontes, membro da comunidade do DojoRio, está fazendo um Projeto Final sobre o Coding Dojo. Para alimentar a sua pesquisa, ele criou uma pesquisa simples sobre o que as pessoas acham do Coding Dojo como ferramenta de ensino e integração social levando em conta a participação em comunidades de desenvolvimento. Para você que ainda não pode participar da pesquisa, segue o link do questionário:

https://spreadsheets.google.com/viewform?hl=pt_BR&formkey=dEk3WUtGdlA2Q3hraXZiWFhKYXJ5b2c6MQ#gid=0


Sinal verde para Dojo organizado pela Globo.com

segunda-feira, 18 abril 2011

No último sábado (16 de abril de 2011) foi organizado mais um Dojo no Rio de Janeiro, desta vez com apoio da Globo.com. Ele ocorreu na Barra da Tijuca, entre 14:00 e 17:30, tendo um intervalo para o delicioso coffee break patrocinado pela empresa.

Descontração durante Coffee Break patrocinado pela Globo.com

Mais de 25 pessoas participaram do encontro, incluindo algumas figurinhas marcadas do Dojo Rio e bastante gente nova.

Mais da metade dos participantes levantou a mão quando perguntamos quem nunca tinha participado de um Dojo, o que foi ótimo, pois conquistamos novos adeptos. Dentre os dojozeiros de longa data, participaram: Álvaro Justen, Cláudio Berrondo, Leandro Thimóteo e Oscar Marques. Contamos ainda com duas participações internacionais: Josemar da Costa Magalhaes (da Angola) e Marcelo Flores Henrique (do Peru), que demostraram bastante habilidade programando.

Palestra de Abertura de Francisco Souza

Como estávamos iniciando um novo grupo de Dojo, escolhemos problemas mais simples: um grupo começou com o Fizzbuzz e o outro trabalhou no Cheque por extenso. Quando o primeiro grupo resolveu o Fizzbuzz, eles começaram a brincar com o problema do Telefone. O segundo grupo permaneceu no Cheque por extenso do início até o fim. Ambos grupos desenvolveram em Python e o código-fonte resultante pode ser encontrado no Github.

Grupo que brincou com o problema do Cheque por extenso

Grupo que resolveu o FizzBuzz e o brincou com problema Telefone

Algo que ajudou bastante no encontro foi o uso de semáforos físicos, ambos desenvolvidos usando Arduino e integrados aos computadores usando dojotools. O semáforos ajudaram bastante os novatos a entenderem quando podiam interromper a dupla em ação, enquanto o dojotools fazia com que a dupla percebesse imediatamente testes quebrados.

Novo semáforo em uso – ajudou iniciantes a entenderem a hora de interromper a dupla

Semáforo 2.0 (por Álvaro Justen e Tati Al-Chueyr) e semáforo 1.0 (por Álvaro Justen, Bernardo Fontes e outros)

Segundo os participantes, um dos pontos positivos deste Dojo (fora o coffee break ;)) foi ter acontecido no sábado – algo que viabilizou a presença de pessoas que trabalham e estudam durante a semana e portanto não conseguem participar dos demais Dojos. Dentre os pontos a serem melhorados, ficou a sugestão de variar a linguagem de programação – algo que sem dúvida será feito nas próximas edições.

Foi um prazer organizar este encontro junto com colegas da Globo.com, incluindo Igor Macaúbas, Francisco Souza, Rafael Martins, Hugo Seixas, Hugo Tavares e Andrews Medina – os dois últimos infelizmente não puderam participar desta edição, mas contribuiram diretamente com sua organização. Mais duas pessoas da empresa merecem ser citadas: Demetrius Nunes e Thaina Zanotti , sem os quais o Dojo da Globo.com não teria se tornado realidade. Do pessoal de fora da empresa, queria agradecer em especial ao Álvaro Justen – tanto pela madrugada que viramos implementando o segundo semáforo, quanto pelo apoio no próprio dia do evento.

Sobreviventes ao fim do Dojo

Obrigada a todos que participaram! Esperamos organizar o próximo Dojo em breve, e contamos com a presença de todos!

Mais informações:

Retrospectiva

🙂

  • coffee break +++++++
  • troca de ideias e experiências durante coffee break
  • dojo no final de semana
  • veio um monte de gente
  • todo mundo participou
  • semáforo
  • infraestrutura
  • organização bacana

😦

  • timidez no início
  • faltou sinalização de onde era o dojo
  • atraso para começar
  • pares falando baixo

Melhorar

  • cartaz explicando funcionamento do dojo
  • explicar melhor TDD
  • variar linguagem
  • sinalizar melhor o Città
  • sugestão de linguagem por novatos
  • pares têm que falar mais alto

DojoRio@UNIPLI – 05/10/2010

quinta-feira, 7 outubro 2010

Pessoal,

Ontem rolou o primeiro DojoRio@UNIPLI. Agora, teremos mais uma sessão de Dojo rolando toda terça-feira no Rio de Janeiro! Mais uma vez mostramos o quão essa comunidade é engajada e tem a vontade de partilhar as experiências que cada um viveu e vive no Dojo com outras pessoas da Computação.

Esse Dojo resultou da PythOnCampus que rolou na semana anterior praticamente durante três dias. Entre minicursos de Python, Blender, palestras, rolou um Dojo rápido que o pessoal do DojoRio@Niterói ajudou a tocar. Além da sessão, rolaram, por causa do desenrolo life style, duas apresentações sobre o Coding Dojo que foram feitas por mim. A ideia se difundiu, a galera gostou, os professores apoiaram, o diretor também e agora, toda terça-feira temos mais um encontro em Niterói!!! Tem coragem!?

Então, para começar os trabalhos, nós pegamos o clássico problema dos Números Romanos e fizemos em Java. O problema gerou bastante discussões porque haviam pessoas com experiências em várias diferentes linguagens. Tinhamos gente que trabalha com Java, com Python, com Ruby, com C++ e até com Lua. Então, a discussão agregou muito pela heterogeneidade do papo. Tivemos bastantes participantes e, inclusive, uma participação grande dos calouros da UFF. Achamos muito interessante aumentar os laços de relacionamento de alunos de Computação em Niterói. Essa é uma maneira muito positiva para nós conseguirmos difundir ainda mais as nossas ideias.

Entre os presentes estavam:

Os pontos positivos foram:

  • Mais um DojoRio +++++++
  • Matar aula para ir no Dojo
  • Rapaziada nova participando +++++++
  • Bom número de pessoas +
  • Explicação inicial
  • Percepções dos novatos sobre o processo
  • Rapaziada da UFF fortalecendo +
  • Problema ++++
  • Java +++
  • Netbeans ++
  • Rafaela fazendo os testes passarem
  • Todos programaram
  • Trakinas ++
  • Sala +
  • HashMap
  • Nova forma de programar
  • Comunicação interpessoal
  • Pessoal focado

Os pontos a melhorar foram:

  • Pouco tempo ++++
  • Horário não é dos melhores +
  • Pessoal tendo que sair mais cedo
  • Tipagem em Java
  • Não ficar para o pós +
  • Sem café
  • Java +
  • Netbeans
  • Pessoal do primeiro dojo que não pode ir
  • Falatório
  • Faltou divulgação +

As sugestões foram:

  • O pessoal novo entrar na lista
  • Continuar rolando!!! +
  • Aumentar a integração dos universitários em Niterói ainda mais
  • Promover mais dojos +
  • Fazer outros em outras linguagens

Para os que não foram, fica uma reflexão do Eduardo: “O bom desse problema é que a gente percebe que nem sempre 4 é mais fácil que cinco.”

Até a próxima rapaziada!

Bernardo Fontes


DojoRio@UFF – 15/06/2010 Em ritmo de Copa

quarta-feira, 16 junho 2010

Galera,

Rolou ontem mais um DojoRio@UFF. Só para lembrar, esse Dojo é regido pelos calouros do Curso de Ciência da Computação com o intuito de eles aprenderem entre si, já que a discrepância entre as diversas turmas das disciplinas Programação I e II do curso é bem grande.

Para manter o clima de Copa do Mundo, o problema foi fazer um avaliador de bolão. De entrada era esperada duas ou mais apostadores, suas respectivas listas de apostas e uma lista com os resultados finais das partidas. A saída deveria ser o nome do apostador que foi vencedor e a pontuação que ele obteve. Diferentemente da Copa e felizmente, nós não tivemos vuvuzelas presentes na sessão.

O código resultante está nesse repositório no Github. Como nós usamos o parâmetro para ativar o commit para o repositório git a cada salvamento de arquivo do Dojotools, vocês poderão pelo no histórico de commits como foi a evolução do código e nossos erros.

A abordagem para o problema foi bem discutida e a modelagem que nós adotamos nos ajudou muito a manter o código sustentável. Além disso, o fato de testarmos primeiro os casos de comparação entre dois resultados para depois atacarmos a solução final foi essencial para o entendimento e o desenvolvimento de maneira organizada do código.

Estavam em campos 10 jogadores:

Os pontos positivos foram:

  • O problema +++
  • Biscoitos +++
  • Época de Copa do Mundo
  • Jogo do Brasil no DCE +
  • Explicação do and e or simulados por if’s e o caso ter acontecido depois
  • Começar a realmente entender Ruby
  • Ruby é sexy ++
  • Todos programaram +
  • Dojotools com o git ++
  • Orientação à objetos ++
  • Discussões boas ++++
  • Veio uma galera boa +
  • Ambiente
  • Linguagem nova ++
  • Iniciativa dos calouros propondo modificações no Dojo
  • Modelagem é tudo e resulta em avanço
  • Mouse
  • Quadro impedindo o reflexo do sol
  • Avanço no código da maneira sustentável +
  • O horário

Os pontos a serem melhorados foram:

  • Faltou a apresentação das pessoas
  • Demorou para começar ++++
  • Professor que passa exercício pra nota faltando 5 minutos pro Dojo ++++
  • Faltou tempo
  • Bug do Dojotools
  • Uso radical dos baby steps
  • Ausência de um pessoal ++
  • Comida desnecessária no horário
  • Não poder ver o código ser desenvolvido por inteiro +
  • Mosca imortal enchendo o saco
  • Não entendimento sobre discussões importantes

Como sugestões ficaram:

  • Fazer algum em PHP
  • Fazer algum em C
  • Melhorar a posição do piloto e copiloto

O Dojo foi bastante proveitoso, principalmente em função de duas discussões. A primeira foi fruto da ideai do Lucas de fazer a maioria dos Dojos nesse horário em Java pelo fato de a maioria dos que frequentam o Dojo nesse horário estarem aprendendo Java. Alguns participantes aprovaram e outros não. Enfim, como o Dojo é deles e para eles, eles ficaram de conversarem entre si e decidirem o que vão fazer. Esse fato por si só já é interessantíssimo.

Para não ser injusto com ninguém e nem tendencioso (afinal eu estava dentro da discussão com as minha opiniões) prefiro dizer somente qual foi o assunto da segunda discussão. Bem, a segunda discussão foi tocada em função do conceito de Baby Steps e de como ele funciona em conjunto com o TDD. O importante é que no final todos continuaram com a opinião de que de fato desenvolver software usando TDD e baby steps é altamente produtivo.

Até a próxima,

Bernardo Fontes


Primeiro DojoRio@Petrópolis (29/05)

domingo, 13 junho 2010

Um sábado após o PythonCampus em Petrópolis aconteceu o primeiro DojoRio@Petrópolis, o problema resolvido foi o FizzBuzz e depois dele como ainda tinha sobrado tempo tentamos resolver uma contagem regressiva, porém esse último não foi concluído.

Participantes:
César Frias
Luiz Bonsaver
Valdinei dos Santos
Joe Rabelo
Natasha Paiva
Alex Amaral
Bruno Lima
Rafael Santos
Fernanda Fontenelle
Rodrigo Cacilhas
Friedmann Gerber
Guilherme Gualberto

O que foi bom:
Bastante gente participando
A presença de pessoas sem conhecimento em Python

O que podemos melhorar:
Um teclado melhor
A participação de todos os presentes
Desenvolver um software que ao salvar o arquivo ele já rode os testes diretamente
Trazer novos desafios
Levar um lanche

Gostaria de agradecer a coordenação do IST, principalmente a Adriana Racco que ajudou bastante e liberou uma sala para o DojoRio@Petrópolis. Sábado dia 19 tem mais…