Dojo@IFF A Segunda vez é ainda melhor…

quinta-feira, 24 março 2011

Nosso segundo dojo do ano foi tão divertido quanto o primeiro. Como era esperado, os calouros tem participado (os mais interessados) e demonstram cada vez mais uma vontade extraordinária em aprender. Isso é ótimo, afinal, o objetivo é aprender mais e mais. Com muito esforço estamos conseguindo gerenciar nossos dojos, mesmo com um desfalque na equipe

No dia do dojo, novamente para nossa surpresa, bastante gente apareceu para se divertir e aprender. Desta fez fomos direto aos problemas (sim, resolvemos mais de um problema \õ/). Como a galera já estava familiarizada com o ritmo da brincadeira, escolhemos um problema um pouco mais dificil (mas nem tanto), o Jokenpo, e, como foram foi muito eficientes na programação, sobrou tempo para mais um problema, o dicionário de Código-Morse, onde o grande desafio foi escrever “weslleymberg” em , advinha, código-morse! hehe

A ansiedade toma conta de todos a medida que o próximo dojo se aproxima e esperamos ter a alegria de ver a nossa sala cheia novamente.

Agora vamos para a retrospectiva:

Códigos e fotos

.__ ._. ___ … (Prós)

– aprendemos código morse

– fizemos dois problemas ++++

– horário bom +++

– os calouros aprenderam listas, tuplas e dicionários ++

– muitas pessoas (gente de fora também)

– acabamos no horário marcado ++

_._. ___ _. _ ._. ._ … (Contras)

– nem todos programaram

– faltou a cachaça (#horaextra) ++

– sem #horaextra

– ubuntu is not mac

Participantes:

– Ruhan

– Priscila

– Rômulo

– Weslleymberg

– Norato

– Leandro

– João

– Igor Klem

– Romário

– Jeferson

– Gabriel

– Grevi

– Felipe Cabral

– Plínio

– Pedro

– Marcelo

– Lucas Rodrigues

P.s.: relato feito pelo Weslleymberg

Anúncios

Dojo@IFF Especial de Ano Novo (Letivo)

quinta-feira, 24 março 2011

Como todos sabem, o ano letivo aqui no Brasil só começa depois do carnaval e não foi diferente com o nosso dojo. No final do ano passado nós tivemos grandes perdas, o Tarsis, o Hugo e mais um bando de gente foi pra Globo.com, a Marianna foi pro MPF e acabamos ficando desfalcados.

Com a equipe desfalcada, eu e Priscila ficamos preocupados com o que fazer com o dojo esse ano, queríamos trazer mais gente e mantê-los no dojo. Foi assim que surgiu a idéia de fazer o dojo como um trote nos calouros. Armamos tudo e intimamos os calouros a comparecerem no dojo que, por sinal, mudou de dia e horário, agora ele acontece toda terça-feira das 16 às 18hrs.

O dia do dojo chegou e nós fomos para a sala (sim, agora nós temos uma sala permanente!!) e, para a nossa surpresa, ela estava cheia! Para começar eu passei o para eles o mesmo vídeo que foi passado para os calouros da UFF e deu pra ver que eles ficaram animados, logo após partimos para o problema. Como muitos deles nunca tinha programado na vida, decidimos começar com um problema fácil, o FizzBuzz. Durante todo o dojo muitas dúvidas surgiram e graças a nosso professor de plantão, o Rômulo, todas as dúvidas foram tiradas. Conseguimos terminar o código e ainda deixamos ele limpinho.

Agora vamos para a retrospectiva:

Códigos e fotos

Fizz (Prós)

– proveitoso ++

– muita gente ++++

– novatos aprendendo +++

– python

– should / specloud

Buzz (Contras)

– inexperiência

– faltou a cachaça (#horaextra) ++

– nem todo mundo participou

– usuário windows programando paralelamente sem querer participar (C++ não é bom!)

Participantes:

– Ruhan

– Priscila

– Rômulo

– Weslleymberg

– Norato

– Leandro

– João

– Felipe Duarte

– Mayara

– Gabriel

– Diogo

– Grevi

– Felipe Cabral

– Plínio

– Diego

– Lucas Hissa

– Lucas Rodrigues

– Leandro Pires