Dojo@IFFCampos #PythOnCampus

domingo, 21 novembro 2010

Na sexta-feira, dia 12 de novembro, tivemos uma edição especial do DojoCampos para a PythOnCampus aqui no IFF (Campus Campos-Centro), organizada pelo pessoal do NSI. A linguagem escolhida foi Python (era a PythOnCampus né?) e o problema escolhido foi: Poker Texas Hold’Em. O Dojo ficou um pouco prejudicado por ser no mesmo horário de um minicurso sobre MongoEngine mas ainda assim foi muito interessante.

Tivemos a ilustre presença de dois palestrantes da PythonCampus no Dojo: Henrique Bastos, da Myfreecom, e Rodolfo Eckhardt, do Google.

O objetivo do problema era construir uma engine de Poker Texas Hold’Em que recebia como parâmetro n mãos e indicava a mão vencedora e a jogada encontrada em cada uma delas.

A modelagem acabou nos tomando mais tempo do que a própria resolução do problema. No começo mudamos a modelagem algumas vezes, mas depois que estabelecemos uma, a solução começou a fluir com mais tranquilidade. Infelizmente, não terminamos o problema, mas todos aprendemos alguma coisa nova.

Retrospectiva

    o Pontos Bons:

        o Should-DSL

        o Problema Massa++

        o Evolução da solução

        o Python

        o Organização do teste+++

        o Comunicação++

        o Legibilidade

        o Testes

        o Todos programaram – 1

        o Auditório

    o Pontos ruins:

        o Problema grande+

        o Tempo+++

        o 1 não programou

        o Teclado

        o Falta de definição da solução

        o Medo de programar

        o Atalho do Upcase (Gedit)

        o Falta de clareza do Dojo

Participantes

    o Tarsis Azevedo
    o Henrique Bastos
    o Pedro Henrique
    o Douglas Camata
    o Rodolfo Eckhardt
    o Diego Manhães
    o Felipe Norato (Naruto)
    o Caio Rios
    o Sarah Marques
    o Chaiana
    o Felipe (da Chaiana, hahaha)
    o Felipe (Monkey)
    o Hugo Maia
    o João Felipe (Smurf)

Anúncios

Código morse em Petrópolis mais estréia do plugin

sábado, 6 novembro 2010

Depois de mais de 1 mês sem ter dojo em Petrópolis hoje finalmente rolou um (acho que por isso que choveu). Tivemos também a estréia do dojo-tools-gedit, sou meio suspeito pra falar sobre pois sou um dos desenvolvedores, mas ficou do cacete. 😀

Por causa da chuva tivemos apenas 4 pessoas brincando, mas não deixamos a peteca cair e resolvemos o problema do código morse, infelizmente não pudemos ir à Lua como havíamos planejado, pois nosso tutor não pode ir, então resolvemos o problema em Python.

A FAETEC dessa vez forneceu até lanchinho para nós :D. Foto pra dar água na boca

A estréia do Plugin pro Gedit

Acredito que muitos aqui já conheçam o dojo-tools do Flávio Amieiro, pois bem, o plugin nada mais é que o dojo-tools funcionando dentro do Gedit, com uma janela de configuração pra informar os comandos a serem rodados e o tempo em segundos (se deixar em branco roda com 300 segundos, o equivalente a 5 minutos). Ele pode ser baixado nesse repositório do github.

Participantes:

  • Rafael Henter
  • Natasha Paiva
  • Luiz Bonsaver
  • César Frias

🙂

  • Plugin no Gedit ++++++
  • Lanche 0800 ++
  • Rafatoração punk +++++
  • Problema legal

😦

  • Dicionário gigante (foi um saco montá-lo)
  • Pouca gente (chuva punk)
  • Não fomos à “Lua”
  • Nosso tutor de Lua não foi