DojoRio@UFF e DojoRio@Niterói – 19/08

Pessoal,

Como é de conhecimento de todos, nós temos duas sessões de Dojo que acontecem na UFF. Uma é a que os alunos que ingressaram no curso de Computação no período passado tocam e a outra é a mais antiga. Antes, a dos calouros acontecia às terça e a mais velha às quintas. Entretanto, como o horários deles mudou agora nós temos as duas sessões acontecendo no mesmo dia! A dos calouros acontece das 11:00 até às 13:00 e a mais antiga das 19:00 até às 21:00. Então vou falar como foram as duas sessões nesse post.

A da parte da manhã aconteceu na sala da InfoMarka por um problema para conseguir a sala. No início iriam ser só quatro pessoas, mas 3 calouros desse segundo semestre souberam e resolveram aparecer para conhecerem o Dojo. Então, fizemos o clássico problema do Fizzbuzz e a linguagem escolhida foi Python. O mais interessante foi que nenhum dos três calouros tinha visto uma linha de código na vida e o primeiro contato deles com código foi no Dojo! Estavam presente as seguintes 7 pessoas:

Os pontos positivos foram:

  • Aprendizado +
  • Ensinamentos ++
  • Interação
  • Boa didática
  • Dojo alternativo
  • Calourada comparecendo +++
  • O Dojo funciona como ferramenta de ensino
  • Python funciona no ensino +
  • A importância dada aos novatos
  • Luisão que encheu o saco deles para comparecerem
  • InfoMarka ter emprestado a sala +
  • Projetor +
  • Apresentação inicial
  • Volta do DojoRio@UFF
  • Bem explicado
  • Não houve pressa
  • Desenvolver o pensamento de como chegar a um objetivo
  • Ambiente muito maneiro de interação
  • Totalmente aberto à dúvidas

Os pontos a melhorar foram:

  • Horário do almoço ++++
  • Sala pequena
  • Aula ao lado
  • Tempo
  • Faltar aula
  • Fome ++
  • Falta de definição da sala oficial

Como sugestão ficou:

  • Calouros continuarem vindo!

Depois, passada a tarde, tivemos a nossa segunda sessão do dia. Dessa vez a linguagem escolhida foi Ruby e o problema foi o de receber uma lista de países participantes de uma olimpíadas e o número de medalhas que ele tem. O esperado é uma lista com o nome dos países ordenada de acordo com a posição de cada país no ranking de medalhas. O problema era bem simples e foi escolhido porque, a calourada que compareceu no Dojo da manhã foi extremamente sagaz e já tinha espalhado a notícia que haveria um outro Dojo na parte da noite. Então, tivemos mais calouros ainda!!! Além disso, foi interessante que um pessoal dos períodos intermediários da Computação na UFF que também nunca haviam ido ao Dojo compareceram. Então, tivemos muita gente nova! Estavam presentes as seguintes 23 pessoas:

Os pontos positivos foram:

  • Casa cheia +++++++++
  • O problema ++++
  • Ruby +++++++++++++
  • Conhecer uma linguagem que não conhecia +++++
  • Gente nova +++++++++
  • Calouros vieram ++++
  • Vinícius ajudando como guia
  • MUITA comida ++++++
  • Volta de um pessoal das antigas +
  • Pós-Dojo vai bombar!
  • Muitas cabeças são melhores que uma para a resolução de problemas
  • Grande interação entre as pessoas ++
  • Compartilhar o conhecimento +++
  • Troca de experiências
  • Pessoal mas antigo disposta a ajudar ++
  • Ambiente descontraído +
  • Código em inglês
  • Participação de todos +
  • Professores presentes e programando +
  • Explorar bem o poder da linguagem +
  • Mouse +
  • Aprender uma forma “diferente” de programar (TDD) +++
  • Refatoração
  • Apresentação das pessoas ++
  • Dois Dojos no mesmo dia na UFF +
  • Conseguir o projetor junto à coordenação
  • Desenvolvimento incremental
  • Silêncio da galera
  • Pessoal tirando dúvida direto
  • Vou voltar!
  • Muito mais maneiro que o que eu esperava

Os pontos a melhorar foram:

  • Não terminar o problema ++
  • Nem todos terem programado +++++
  • Fugir do Baby Steps
  • Esquecer o que o teste está pedindo
  • A disposição do computador atrapalhou a visibilidade do projetor ++
  • Embolou um pouco no final ++
  • Não desenvolver muito o problema
  • Conversa no final
  • Não trouxe comida
  • Código em inglês
  • Faltou uma explicação inicial da linguagem +
  • Melhorar minha lógica
  • Falta de cadeiras
  • Ruby +
  • Foco nos recursos de Ruby e não na solução do problema +
  • Conseguir gravar o nome de todo mundo

Como sugestão ficou:

  • Continuar variando as linguagens
  • Será que rola em paralelo duas sessões com um repositório de gerência de configuração no meio?
  • Fazer um em Java
  • Falar qual vai ser a linguagem a ser utilizada antes
  • Fazer mais Dojos em Ruby
  • Maior participação da platéia
  • Será que rola um 3º Dojo na UFF? Fica o desafio

Até a próxima.

Anúncios

One Response to DojoRio@UFF e DojoRio@Niterói – 19/08

  1. Luis disse:

    foda foda foda!
    os dois dojos foram sensacionais
    e o pós entãp nem se fala!
    ehaUIehaOIUeh

    lets go pro terceiro dojo da uff!

%d blogueiros gostam disto: