DojoRio@Niterói – 10/06/2010

Galera,

Aconteceu nessa última quinta-feira mais uma sessão do DojoRio@Niterói. A sessão foi caracterizada pela heterogeneidade dos participantes. Estavam presentes professores, calouros do Curso de Ciência da Computação, veteranos, mestrandos, profissionais da área de TI, professores, historiadores e até a Luciana Cavalini que atua com o pessoal da Medicina no desenvolvimento do OSHIP.

O problema escolhido foi o do jogo de boliche. Dado uma lista de jogadas compostas por frames das jogadas individuais, tínhamos que retornar o total de pontos. A linguagem utilizada foi Ruby. A entrada foi definida como uma lista de listas e a saída um inteiro que representasse o total da pontuação. O spare era definido por um ‘/’ e o strike por um ‘x’.

O problema caminhou bem, mas o mais interessante foi o fato de o pessoal ter discutido bastante sobre questões sobre a modelagem do problema. Foi bem pensada a maneira de abordar o problema para não cairmos na armadilha clássica na computação de se fazer uma só função que acaba por ter N responsabilidades. Fizemos bastante uso de Orientação à Objetos levando em considerações questões como estado de um objeto e herança. Além disso, rolou uma explicação muito completa sobre o conceito de bloco e o uso dele em Ruby.

Haviam 24 presentes, sendo eles:

A review foi bastante proveitosa e tivemos como pontos positivos:

  • O Dojo continua cheio ++++++++
  • Bastante discussão +++
  • Ter sido em Ruby ++++++++++++
  • Explicação do conceito bloco em Ruby ++++++++
  • Ctrl + Z +++
  • Ambiente físico
  • Calouros participando dos dos Dojos
  • Problema interessante ++
  • Código em inglês
  • Arrumar um estágio pela participação no Dojo
  • Muita gente programou
  • Aprender as regras do boliche
  • Uso de orientação à objetos +
  • Comida +++++++++
  • Coca-cola
  • Refatoração
  • Pessoal que não vinha faz um tempo veio
  • Mas e quando…? Os novos estão começando a saber responder esta pergunta
  • Últimos 4 Dojos = 4 linguagens diferentes = poliglota
  • Aprendizado de convenções e culturas que envolvem a lingaugem
  • Gente nova +
  • 4 C’s (colaborar, compartilhar, comunidade e conhecimento)
  • Aprendizado usando a teoria dos jogos sem perceber
  • Aniversário do Dukão ++++++
  • Pessoal falando mais alto no computador
  • Paticipação da Luciana +
  • Matinhon deu as caras +
  • Mulherada mostrando como se programa
  • O nível da galera
  • Professores presentes +++
  • Informalidade
  • Muitas novidades

Os pontos a serem melhorados foram:

  • Migué do Martinhon +++
  • Bolo para o parabéns
  • Esquema de cores do Gedit
  • Faltou a apresentação inicial do pessoal
  • Abuso de Ctrl + Z
  • Faltou um mouse +
  • Cabeça cheia == código ruim
  • Ter que falar e ouvir as pessoas arrumando as coisas para fechar a sala
  • Computador dos outros dificulta por causa do teclado
  • Acanhamento dos professores +
  • Pessoas indo embora no meio da sessão
  • A entrada não estava clara
  • Ter sido em Ruby
  • Código em inglês
  • As regras do não foram 100% seguidas
  • Atrasos
  • Falatório da platéia +
  • Renata não ter programado ++
  • Ter que aprender a jogar boliche
  • Muito não programaram +
  • Algumas pessoas ficarem de espectadores
  • Ignorância em Ruby
  • Oliver não programou

Ficou como sugestão:

  • Rever o formato do Dojo para torná-lo mais compatível com o número de participantes
  • Definir o problema antes e escrever no quadro
  • Fazer um Dojo em C
  • Fazer um Dojo em PHP
  • Usar um computador mais “default”
  • Continuar fazendo Dojos em Ruby

Esse Dojo se caracterizou por ter sido um dos mais explicativos, digamos assim. Houve muita discussão teórica de boas práticas de programação, o que é essencial para essa garotada nova já começar com o passo certo. Mas, como o Dojo não acaba aí, depois ainda rolou uma MESA GIGANTE na nossa Cantareira que tinha de tudo, desde caipiras até um pessoal nerd programando um programa para sortear os times para um bolão. O fato de eu ter feito o programa (em Python, claro) e o Brasil ter ficado comigo são meras coincidências!

Até a próxima,

Bernardo Fontes

Anúncios

2 respostas para DojoRio@Niterói – 10/06/2010

  1. […] que existem várias pessoas com o prazer de programar para aprender. O inchaço do DojoRio@Lapa e DojoRio@Niterói, a criação dos DojoRio@Unirio, DojoRio@Petrópolis e DojoRio@GamaFilho, o interesse dos calouros […]

  2. Cleiver disse:

    O Oliver não ter programado foi mancada mesmo… 😛

    Como não conhecia a dinâmica do dojo preferi ficar de espectador pra aprender, mas na próxima eu programo (ainda mais se for em PHP :P).

%d blogueiros gostam disto: